Seguidores

A Jornada de um Barco...




Sr. Barcúsio era um barco que velejava, tranquilamente, no calmo Oceano Índico. Ele não tinha motor, nem chaminés. Apenas uma pequena vela, no seu minúsculo mastro.


Sr. Barcúsio ganhava a vida levando e trazendo famílias de um litoral para outro. Cansado dessa tranquila, porém chata vida, ele adquiriu rodas e um motor, e foi procurar um emprego melhor na floresta. O pequeno barco a vela, procurou, pensou, procurou novamente e concluiu que não havia um emprego adequado para ele na floresta. Sr.Barcúsio estava saindo da floresta quando ouviu uma voz. Ele se virou e só viu árvores. E, para sua surpresa, uma delas falou:


-Barcúsio...


-SR. Barcúsio para você! E como sabe meu nome?


-Eu sei de tudo. Sr. Barcúsio, eu ouvi dizerem que há um emprego naquela direção.


-Ok, obrigado. Qual é seu nome?


-Pinheiro feliz.


O determinado barco com rodas seguiu pelo caminho indicado por Pinheiro Feliz, chegando a uma planície de rochas amareladas, em que havia uma pequena arena no meio. Nessa arena tinha uma placa que dizia:


-PRECISAMOS DE COMBATENTES!


Então, Sr. Barcúsio entrou e disse para a primeira pessoa que viu, que, na verdade , era um pião:


-Sou o combatente de que precisam.


O pião levou o barco até a sala de preparação, onde ele precisava determinar sua estratégia. Em seguida, Sr. Barcúsio se viu diante de um enorme gladiador, com pesadas armaduras e uma espada.


A luta tinha começado!

O gladiador dava poderosos golpes de espada enquanto o barco se defendia com seu mastro. Aos poucos, o gladiador foi ficando cansado com sua armadura pesada e, com seu motor, o barco conseguia correr (ou melhor, dirigir-se) com a maior facilidade. 

O gladiador acabou desistindo e, Sr. Barcúsio, desistiu de sua nova vida, voltando a levar e trazer pessoas de um litoral para outro.


*Essa história foi "recuperada" somente agora. Fiz ela com 11 anos.